Case de sucesso: Tok&Stok

A Tok&Stok surgiu em 1978, fruto do empreendedorismo do casal, Régis e Ghislaine Dubrule, recém-chegado da França ao Brasil. O nome resume bem o conceito inovador que seus fundadores desejavam implantar no país: a palavra “Tok” refere-se ao design arrojado de seus produtos e “Stok” menciona a disponibilidade desses móveis para retirada imediata.

Ao longo dos anos a companhia passou por transformações tecnológicas com o objetivo de atender aos propósitos do negócio e a demanda dos consumidores, que necessitam cada vez mais de disponibilidade, agilidade e praticidade.

Com o objetivo de acelerar o processo de transformação digital, a Tok&Stok anunciou, em setembro, a associação com a startup 1M2. A operação visa aplicar a expertise no digital e a capacidade da empresa no desenvolvimento de projetos inovadores, ao processo de transformação digital já em desenvolvimento na varejista com mais de 40 anos de mercado e líder do segmento de móveis e design no Brasil. Hoje esse núcleo de tecnologia recebe o nome de TKSolution e já atua em todos os projetos da companhia.

Combinando a forma de pensamento da companhia junto a necessidade de suportar um novo conceito de entrega, a Triple S em união com a AWS posicionaram as características da companhia como iniciativas Cloud Native, ou seja, o pensamento DevOps se acopla nativamente aos serviços AWS.

Uma das necessidades do time de DevOps era permitir o deploy automatizado de suas aplicações utilizando containers baseados em Kubernetes e providos pelo Jenkins, mas ainda exigia a necessidade do deploy de um “host/server” para hospedar esta aplicação, o cadastro e registro destes itens com suporte a resolução de nomes e atrelar a um balanceador de carga a este micro serviço.

Para endereçar estas frentes, a Triple S em conjunto com a DaRede moldaram as necessidades do cliente combinando Serviços Nativos de DNS, WAF, Cache e Load Balancer com Computação Elástica em Auto-Scaling, incluindo ainda acesso a Micro Serviços de Containers Gerenciados para suportar as APIs existentes, possibilitando entregar todas as necessidades de capacidade e automação de maneira simples e gerenciada.

O resultado, o cliente pode escalar e controlar a estrutura com toda a eficiência que o time de DevOps pode oferecer, através do uso do Jenkins com o apoio do ECS (Elastic Container Registry), EKS (Elastic Kubernetes Service) para a parte de micro serviços e o provisionamento automatizado através das configurações de Auto Scaling para cada tipo de instância EC2 do ambiente.

Outro grande diferencial foi o uso do Route 53 (Serviço Escalável de DNS), ELB (Elastic Load Balancer), WAF+Cloud Front (Content Delivery) e API Gateway (Gestor de APIs), que permite controlar de forma eficiente a segurança, a disponibilidade e acesso as instâncias e conteúdos disponibilizados de maneira automatizada.

Para a parte de performance, ainda foram utilizados serviços como ElasticSearch (Cache Cluster Search) e ElastiCache (In-Memory Cache), completando todos os requisitos de Escalabilidade, Performance e Disponibilidade do modelo Cloud Native.

Conclusão, o cliente se predispôs a adotar iniciativas de Cloud Native e hoje quer defender que outros serviços migrem para Cloud, sendo que o maior motivador é o fato de não ter que se preocupar com a gestão de Infraestrutura e poder contar com o uso de serviço escalável e gerenciável, o que economiza tempo e recurso de seus colaboradores.

VOLTAR PARA BLOG | VER POSTS RELACIONADOS